[Resenha]: Eu Estive Aqui - Gayle Forman

30 agosto 2015

Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


Hey, gente! Sumi de novo, mas tudo isso devido a uma ressaca literária que me fez pensar durante semanas em como fazer esta resenha. Eu Estive Aqui é o tipo de livro que me fez perceber um universo não tão distante de mim e entendê-lo melhor; pra você entenderem o quanto eu demorei a resenhar, eu recebi esse livro tem um mês e pouco, quase dois, o li em uma manhã, as minha cabeça deu tantas voltas que me fez questionar tudo e todos. É um livro que fala de temas polêmicos: Depressão e o Suicídio; deixo claro que minha opinião sobre o último não mudou, entretanto minha visão sobre o primeiro me levou a outros pontos.

"Você tinha um monte de pedras nas mãos, então resolveu limpá-las, deixá-las bonitas e fez um colar. Meg ganhou um colar de joias e se enforcou com eles."

No que se trata de depressão, hoje é cada vez mais real e próximo de nós essa doença que durante alguns anos fora considerada doença de ricos, entretanto hoje na minha família eu consigo diagnosticar alguns sintomas da mesma e tenho um amigo, cuja mãe sofre de depressão; presenciei uma das crises dela e foi tão ruim, me levou a um estado de impotência, ao mesmo tempo tudo o que eu queria era pegá-la do colo e niná-la até tudo passar. O livro retrata sobre depressão durante todo ele, porem ela fica implícita e você é capaz de entendê-la e identificá-la apenas no final, o que foi m choque pra mim.

Sobre o outro ponto.. O mesmo é bem presente em todo o livro, mas deixo claro que fiquei incomodada em diversos pontos e entrei de tal maneira na vida das personagens que consegui sentir as dores e aflições da mesma. De modo a se esclarecer, eu sou totalmente contra este suicídio e nada no mundo me fará mudar de opinião.

“- Se foi, lamento ainda mais a morte dela. – Ele balançou a cabeça – Poderíamos ter nos divertido muito com essas coisas de geek. 
Sorrio educadamente. 
- Você nunca conhece as pessoas de verdade, não é? – comenta ele. 
Não. Não conhece.”

Paola por que você falou tudo isso antes de resenhar de verdade o livro? Porque eu preciso alertá-lo que esse livro é intenso e em meu ponto de vista, se você é uma pessoa com mente fraca, ou com indícios de depressão, esse livro será em muitos momentos um tapa na cara ou até mesmo, dependendo da sua visão, um encorajador pra diversas decisões.

O livro conta a história de duas amigas, quero dizer, melhores amigas Cody e Meg, entretanto tudo pode ter mudado nesse relacionamento com a morte de Meg. Um dia após a morte de Meg, Cody recebe uma mensagem da mesma pedindo desculpas, esta mesma mensagem também é enviada aos pais de Meg, a única pessoa a receber uma diferente fora o irmão mais novo de Meg e assim que começa a história. Inconformada e se sentindo traída, Cody passa a investigar a morte da amiga como se sua própria vida dependesse da descoberta, e as coisas que a mesma passa a descobrir não a agrada em nada, só a levam a se sentir cada vez mais culpada.

"Um dia depois de Meg morrer, eu recebi essa mensagem."

Cody vai até a faculdade de Meg buscar o resto dos pertences da mesma e ali descobre um possível amor da falecida, um notebook e amigos nada íntimos e próximos que a mesma nunca se envolvera. É ali que ódio crescente de Cody por tudo o que acontecera aumenta, é ali que ela descobre outra face da amiga que ela jamais viu, é ali que ela mergulha no outro eu de Meg e luta contra o mundo e se une ao mesmo para entender o que levou a mesma a se matar, já que durante algumas investigações como Cody passa a desconfiar que amiga fora coagida a cometer tal ato.

"Preciso fazer isso - fazer alguma coisa - sozinha. Por Meg. E por mim."

Esse fora meu primeiro livro da autora e confesso que tive uma ótima experiência. Como disse esse foi um livro tão viciante, tão intenso, que te leva a ler em poucas horas; no meu caso eu comecei Às 7h e devido algumas interrupções terminei por volta de 12h. Como já disse, Eu Estive Aqui me levou a entender as coisas de outro ponto de vista, e eu adoro quando isso acontece. Outro ponto positivo foi o modo como a autora desenvolveu cada personagem e como cada um cresceu gradativamente dentro da história, ganhando força, destaque.. Gostei muito de como a autora retrata esses temas polêmicos, mas como também retrata o perdão. Eu tenho pesquisado muito sobre perdão, e como ele é importante para o ser humano, já que a falta do mesmo além de gerar câncer, isso é comprovado cientificamente, também impede o ser humano de seguir em frente em várias áreas de sua vida como emocional, profissional, sexual e por aí vai. Eu Estou Aqui fala de perdoar, se perdoar, compreender, entender, respeitar, seguir em frente e viver. É meio contraditório, já que contra tudo isso está a depressão e o suicídio, mas é exatamente sobre isso que o livro trata. Um fato interessante sobre a história é que a mesma é baseada em fatos reais, claro que diversos personagens não existiram na vida real,. Mas para o livro serviram para acrescentar momentos que na historia verdadeira foram perdidas.

“O perdão é o presente de Deus para nós. Jesus nos perdoou. Ele perdoou nossos pecados. Esse foi o presente dele. Ao permitir que perdoemos uns aos outros, nos possibilitou a receber esse amor divino. O artigo tinha razão. O perdão é um remédio milagroso. Ele é o remédio milagroso de Deus.”


Bem, espero que vocês tenham gostado dessa resenha e me respondam sobre o que acharam, se já leram o livro e por aí vai! 

Até a próxima, xoxo


Eu Estive Aqui
Autora: Gayle Forman
Título original: I Was Here
Editora: Arqueiro
Páginas: 225
Ano de Lançamento: 2015

2 comentários:

  1. É um livro que nós faz refletir muito sobre os aspectos da depressão e da dor, amei a leitura dele também.

    Parabéns pela resenha! :*

    ResponderExcluir
  2. Oi poderia me ajudar? estou lendo em pdf o livro Eu estive aqui. E tem 209 paginas em pdf... mas pela sua resenha tem 225 paginas... poderia me enviar a primeira e a ultima frase do livro pra eu conferir se está faltando algo no meu? envie para o email evelynmuller15@gmail.com se puder me ajudar ficarei muito feliz! obrigada

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita! Eu respondo por aqui mesmo ou pode deixar o link do seu blog que eu visito você :) Espero que você volte logo! Nanda ;)