[Resenha]: Antes De Partir Desta Pra Uma Melhor - Jonathan Tropper

08 agosto 2015

Sinopse: Não é preciso ser nenhum gênio para perceber que a vida de Drew Silver é uma sequência de decisões equivocadas. Faz quase uma década que sua banda de rock emplacou uma música, filha única de mãe solteira. Desde então, a banda se separou, sua mulher o largou e Silver tem assistido a vida passar, tocando em casamentos – quando aparece algum – e descontando os cheques cada vez menos frequentes que recebe pelos direitos autorais de seu único sucesso. Silver então descobre que a ex-mulher está prestes a se casar de novo e que a filha adolescente, Casey, está grávida. Para completar, depois de sofrer um derrame que o deixa incapaz de controlar a língua e guardar para si o que pensa, ele precisa de uma cirurgia no coração. Diante desse cenário, o músico fracassado depara com a pergunta decisiva: será que vale a pena salvar uma vida tão mal vivida? Assim, sob o olhar exasperado da família, ele toma a decisão radical de se recusar a fazer a cirurgia e dedicar o pouco tempo que lhe resta a tentar consertar o relacionamento com Casey e aproveitar a vida – mesmo que ela não dure muito. Com diálogos rápidos, irônicos e sagazes, Jonathan Tropper confirma sua habilidade em retratar com humor e perspicácia o lado oculto da família moderna.


Oi meus amores! Acho que eu já falei aqui que eu adoro a narrativa do Jonathan Tropper na resenha de Sete Dias Sem Fim. Esse autor escreve a versão masculina de um chick-lit, mais ou menos, os protagonistas dele estão sempre na pior, tem muita tragédia e humor sarcástico e drama. Antes De Partir Desta Pra Uma Melhor nos conta a estória do Silver, que já teve tudo o que ele quis: foi membro de uma banda de rock famosa e tinha uma família linda quando chegava em casa, mas as coisas mudaram de uns anos pra cá...

É difícil saber por onde começar. As coisas têm sido confusas há tantos anos que tentar identificar um ponto de partida é como tentar descobrir onde começa a sua pele. Tudo o que você vai conseguir saber é que ela envolve todo o seu corpo e que, às vezes, parece um pouco mais apertada do que você gostaria.

Silver é o ex-baterista do The Bent Daisies, uma banda fenômeno de um sucesso só - Rest In Pieces - que acabou porque o vocalista decidiu seguir carreira solo. Isso foi há sete anos e desde então, a vida do Silver só piorou, ele se divorciou da Denise, que agora está noiva de um médico, se tornou o pior pai do mundo pra sua única filha de 18 anos, Casey, e mora num complexo de apartamentos para o qual os divorciados que já passaram dos 40 anos são exilados na sua cidade, onde ele fica olhando as meninas mais novas desfilarem de biquíni na piscina junto com os amigos.

Enquanto Silver vê a sua vida passar, ele vive dos direitos autorais de Rest In Pieces, toca em um casamento aqui e um Bar Mitzvá ali, e faz depósitos semanais em um banco de esperma de uma clínica em troca de um cheque. É muito glamour né gente! O livro começa quando a Casey o procura pra contar que ela está grávida, a filha que ele nem lembra de ter visto crescer tanto engravidou, e ela só veio atrás dele pedir ajuda porque ela não queria decepcionar a mãe e o noivo. Tá sentindo o nível da depressão? Haha

Em um dado momento, a solidão se torna mais um hábito do que um problema. [...] Porque amanhã é hoje, e hoje é ontem, e ontem você ficou assustado e arrasado. A única maneira de permanecer são é deixar de esperar por algo melhor.


Algumas semanas depois, Silver sofre um derrame que faz com que ele fale exatamente tudo o que vem na telha, já dá pra imaginar as coisas gentis que vão ser ditas né? Vários momentos vergonha alheia. Ele descobre que tem uma condição no coração que pode matá-lo literalmente a qualquer minuto e ele precisa ser operado imediatamente. Só que ele não quer. Uhum, todos tentam convencê-lo a fazer a cirurgia, mas ele opta por esse suicídio passivo e prefere passar os dias que lhe restam tentando ser um pai e um homem melhor.

Eles olham para o final do corredor e veem a ex-mulher de Silver e seu noivo, a filha grávida, o irmão e a cunhada perfeitos e os pais que estão envelhecendo. Estão todos ali por causa dele, mas todos parecem estar bem entrosados sem ele.

Mesmo com tudo isso, você não sente pena do Silver, pelo menos não até esse ponto, porque ele é um babaca. Não tem outro jeito de falar haha, ele é egoísta e imaturo demais pra ser pai, e ele sabe que ele é um ser humano ruim que podia ser melhor. O fato dele ser consciente disso devia fazer com que eu detestasse ele mais um pouco, certo? Então, aí que tá o x da questão, o autor escreve de um jeito que faz você sentir simpatia por ele. Enquanto ele tenta ser um cara melhor, ele erra muito mais do que acerta, e mesmo assim eu me peguei torcendo e perdoando todas as besteiras dele. #MeJulguem


Não deixamos de amar as pessoas simplesmente porque as odiamos, mas também não deixamos de odiá-las.

Perdi as contas de quantas vezes eu balancei a cabeça e coloquei as mãos na cara, frustrada com esse cidadão, mas não desisti do Silver, li super rápido, os diálogos são irônicos e os monólogos tem aquele humor auto-depreciativo que é marca registrada do Jonathan. Esse é um daqueles livros que terminam cedo demais, mas também terminam na hora certa, faz sentido? Como muita coisa na vida, o final não é bonitinho e arrumadinho, mas ele é o que faz mais sentido pra todos no livro na minha opinião. Será que o Silver faz a cirurgia? Como a Casey lida com a gravidez? Ele consegue fazer tudo o que ele queria? Só lendo pra saber, super recomendo ;)


O perdão proporciona um certo alento, mas nunca é capaz de restituir o que você perdeu.

Antes De Partir Desta Pra Uma Melhor
Título Original: One Last Thing Before I Go
Autor: Jonathan Tropper
N° de Páginas: 256
Ano: 2015
Editora: Arqueiro

5 comentários:

  1. Amiga,
    Esse autor é muito amor, né.
    Estou louca pra ler o livro. Será que vou gostar do final? rsrs
    Arrasou na resenha!!!
    bjs

    http://www.entrepaginasesonhos.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O Jonathan é um dos autores que eu quero muito ler mais obras dele. Também amei o escritor na leitura de Sete Dias Sem Fim e fiquei louca de curiosidade quando soube desse novo lançamento dele. A marca do autor é essa mesma, esse humor depreciativo e personagens totalmente errôneos na vida que só fazem besteira e dá aquela vergonha alheia. E é que gostei nele também. Torci pelo protagonista de Sete Dias Sem Fim e com certeza devo torcer por Silver, quando ler sua história >< Ansiosa pra adquirir essa obra, sua resenha me deixou mais ainda interessada <3

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oiee
    Tudo bem?
    Essa capa é muito linda e estória parece ótima mesmoo. Que vida tensa a desse cara hein?
    Beijinhos Screepeer
    http://screepeer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu já li outros livros do autor e simplesmente adorei, então estou ansiosa pra ler esse. Gosto da escrita dele e seus livros sempre me tiram da zona de conforto, já quero.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oiii Fee =DD
    Nossa eu adoro quando o livro tem ponto de vista masculino, é sempre um diferencial, principalmente nesse gênero!
    Eu ainda não li este mas agora to super na vontade!
    Adooorei!
    Bjoos sua linda <33
    http://chacombolacha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita! Eu respondo por aqui mesmo ou pode deixar o link do seu blog que eu visito você :) Espero que você volte logo! Nanda ;)