Resenha: Que Falta Você Me Faz - Harlan Coben

07 julho 2015

Sinopse: Dezoito anos se passaram desde que a detetive Kat Donovan sofreu as maiores perdas de sua vida: a morte do pai e o fim do relacionamento com o noivo. Foram dois acontecimentos muito bruscos que ela ainda não conseguiu superar totalmente, mas, no dia a dia, prefere não pensar muito nisso. Contudo, de uma só vez, essas duas feridas voltam a se abrir. Ao saber que o assassino de seu pai será executado, Kat resolve ter uma conversa com ele para esclarecer o caso. Mas o homem nega a autoria, dizendo que foi obrigado a confessar o crime, e ela acaba ficando com mais dúvidas. Ao mesmo tempo, a detetive é procurada por um garoto que acredita que a mãe está desaparecida. Sem entender por que o adolescente insiste que ela, e não um outro policial, investigue o caso, Kat descobre que o sumiço está relacionado a seu ex-noivo e a um site de relacionamentos. Lidando com dois casos simultâneos, ela decide seguir em frente com as investigações, mesmo que todos ao seu redor tentem dissuadi-la disso. Determinada, Kat trabalha segundo suas emoções, e a intuição lhe diz que ela não deve desistir. Neste livro, mais uma vez Harlan Coben trata de perigos e riscos que podem estar mais próximos da nossa realidade do que se imagina. O resultado é um romance instigante que traça um cenário verossímil e impactante, fazendo um alerta para ameaças atuais que rondam nosso mundo virtual.

Quando somos jovens, achamos que temos todas as respostas. Ou somos da direita, ou somos da esquerda, e quem não está do nosso lado é um bando de idiotas. Entende? Mas aí vamos crescendo e aos poucos começamos a perceber os inúmeros tons de cinza que existem entre o preto e o branco. Hoje sei que os verdadeiros idiotas são aqueles que pensam ter todas as respostas. Nada é tão simples assim, entende?

Oi gente!! Tudo bem? Depois de muito tempo, li um livro do Harlan Coben pela segunda vez, e como eu não tenho coração pra essas coisas, ainda tô aqui meio boquiaberta com o final :O


Kat Donovan, uma detetive do Departamento de Polícia de Nova York resolve seguir o conselho da sua amiga Stacy e conferir o site de relacionamentos VocêFazMeuTipo.com, ela finalmente admite para si mesma que ela não quer passar o resto da vida sozinha. Enquanto ela vai passando por cada perfil, (e descartando mais da metade) ela foca em um rosto que ela não via há muito tempo...

Eram pessoas solitárias que, a cada noite, digitavam sua senha e iam clicando em perfis na esperança de que, daquela vez, fosse diferente, de que enfim encontrassem, por mais ínfimas que fossem as chances, a pessoa mais importante de suas vidas.

Kat quase não acredita no que ela vê, e mesmo que ela não queira, os sentimentos que ela havia enterrado faz tempo voltam com força total quando ela confirma que o dono daquele perfil é mesmo o seu ex-noivo, Jeff, o cara que terminou com ela sem dar muitas explicações e partiu o seu coração há 18 anos. No mesmo minuto em que ela sente aquela ponta de esperança de uma possível reconciliação, uma série de acontecimentos suspeitos começam a se desencadear deixando a vida dela uma bagunça.

No trabalho, ela fica sabendo que o assassino de seu pai está à beira da morte, e Kat tem a última oportunidade de arrancar uma confissão formal dele e finalmente ter todas as respostas para superar a morte de seu pai, cujo assassinato cruel há tantos anos nunca foi totalmente esclarecido. Entretanto, ele nega e diz que confessou o crime contra a vontade. A pior parte é: Kat acredita, e fica com a cabeça cada vez mais cheia de dúvidas. Pra completar, Brandon, de 19 anos, procura Kat para ajudá-lo a encontrar sua mãe, mesmo que todas as evidências indiquem que ela não está desaparecida.

Segundo Holmes, nunca devemos teorizar antes de termos os fatos nas mãos, porque assim corremos o risco de distorcer os fatos para que eles se encaixem na teoria, em vez de distorcer a teoria para que ela se encaixe nos fatos.

À medida que mais pessoas vão desaparecendo, tudo parece estar interligado: o ex-noivo de Kat, o site de relacionamentos, a sua mãe e até mesmo o seu pai. Kat se joga de cabeça em uma investigação onde os seus sentimentos vão de encontro com a sua intuição de policial a cada nova descoberta, o que me deixou com o coração na boca quase toda a leitura, tio Harlan me fez passar a noite em claro lendo haha.

A única coisa coerente que Kat sabia a respeito das pessoas era o fato de que elas nunca eram coerentes.

Eu gostei bastante da leitura, a narrativa do Harlan é cativante e maravilhosa, ele acaba cada capítulo de um jeito que você TEM que começar o próximo, não tem muita opção, eu já tinha passado da metade do livro e nada ficava claro, eu enchi o saco da coitada da Joyce (do blog Entre Páginas e Sonhos, só ela pra me aguentar), porque ela terminou de ler um pouco antes de mim, e mandei um milhão de mensagens tipo: o que vai aconteceeeeeer?, Amiga, pelo amor de Deus, e agora?, Ai Sem oooooor!! Como vocês podem ver o meu desespero foi crescendo exponencialmente, mas no final: BOOM! Tudo se encaixa como aquele cubo mágico colorido que eu demoro uma vida pra montar.

O livro também teve os seus momentos sentimentais, daqueles que fazem você pensar na expressão Carpe Diem com bastante carinho. Mas ele também abordou os potenciais perigos dos sites de namoro e como a internet se tornou um dos grandes alvos de crimes atuais, especialmente para aquelas pessoas mais vulneráveis. De vez em quando eu me estressei lendo como a Kat começava e abordava alguns interrogatórios da forma mais afoita, porém depois eu pensava em como é difícil ter um bom discernimento de certas coisas quando você está tão envolvido e investido pessoalmente em alguma situação.

Embora tenha tido um final surpreendente, essa foi uma leitura relativamente calma, se eu fizer uma comparação com o outro livro do Harlan que eu já li, Não Conte a Ninguém, eu não achei melhor nem pior, eles tem duas abordagens diferentes e eu recomendo os dois pra você que curte o gênero ou o autor, sem dúvida! ;)

A verdade até pode ser melhor do que a mentira, (...) mas nem sempre ela liberta.
Talvez a maior lição de todas fosse também a mais simples: cuidar daquilo que prezamos. A felicidade é frágil. Devemos apreciar cada momento e fazer o que estiver em nossas mãos para protegê-la.

Que Falta Você Me Faz 
Título Original: Missing You
Autor: Harlan Coben 
Editora: Arqueiro
Páginas: 364
Ano de Lançamento: 2015

4 comentários:

  1. Olá,
    Eu não gosto desse tipo de livro, é que realmente não é o tipo de leitura que me agrada. Mas gostei da dica, poderia usar para presentear alguém.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro, mas fiquei curiosa para saber como as coisas se interligam e achei interessante tratar de um tema atual como a internet e sites de namoro. Adorei a resenha.

    Beijos
    http://aluafoiaocinema.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga hahahha
    É super legal lermos livros iguais ao mesmo tempo porque podemos fofocar durante a leitura. Foi bem divertido te dar as dicas, já que você não liga para spoilers rsrs.
    Eu também achei o livro mediano. Ele é ótimo, mas ficou alguns pontos para melhorar.
    Enfim, adoro romance policial e Harlan sempre arrasa.
    bjs

    http://www.entrepaginasesonhos.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Mulher tu lacrou com essa última quote! Vou ali pegar o meu pra ler porque eu querooooo! <3

    http://harlancobenn.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita! Eu respondo por aqui mesmo ou pode deixar o link do seu blog que eu visito você :) Espero que você volte logo! Nanda ;)