Fuxicando sobre chick-lits: Desafio de Junho: A Pílula do Amor de Drica Pinotti

05 julho 2013

TEMPO! TEMPO! 
Não há tempo!! :O
Mil desculpas, mas esse é o meu último semestre de matérias na faculdade, (no próximo é o TCC), e tá difícil!! Ainda sofrendo as marcas que a greve nos deixou, eu vou ter aulas direto no mês de Julho e atéééé algum dia de agosto que eu nem lembro mais, antes de ter alguns dias de folga, por isso eu tenho postado tão pouco e visitado vocês tão pouco, mas eu vou me esforçar maaaais porque eu amo isso aqui e todos os comentários de vocês :) 

"Chick-lit" é um gênero literário que abrange a vida da mulher moderna, sendo voltado, principalmente, para o sexo feminino. São romances leves, com um toque de humor, que narram o quotidiano e entram fundo nas dúvidas e emoções das personagens, transmitindo, normalmente, a sensação de estar lendo o relato de uma amiga. As história nesses livros poderiam facilmente ser uma conversa entre garotas ou mulheres, na qual há compartilhamento de sonhos, segredos, confissões.


E aí sóóóó pra variar um pouquinho, eu tô atrasadéééééésima (essa palavra não deve nem existir haha) com o desafio desse mês né?! Olha o tema desse mês:

Junho: No Mês dos Namorados, escolha um chick-lit em cuja capa haja um casal, um coração ou qualquer referência ao amor, ao romance ou a se estar apaixonado.



E eu escolhiiiiiii...


Sinopse: Esta poderia ser mais uma daquelas histórias em que a protagonista está na faixa dos 30 anos, é bonita, descolada, tem um emprego legal, uma mãe meio rebelde e sonha com um grande amor que de preferência não dê muitos palpites em sua vida. Poderia, se Amanda não contasse com um ingrediente a mais: ela é totalmente, absolutamente, hipocondríaca. Não passa uma semana sem se presentear com uma consulta ao novo especialista da cidade, seja lá qual for a especialidade.A chegada de Brian à vida de Amanda bem que poderia dar uma virada de mesa nessa situação, mas ele tem um cachorro, o que inviabiliza qualquer possibilidade de romance. Afinal, Amanda prefere morrer solteira a conviver com os milhares de germes que habitam o corpo daquele animal "selvagem"...
Vocês sabem o que é hipocondria? Vamos ao conceito da tia Wikipédia: A hipocondria, do grego hypo- (a baixo) e chondros (cartilagem do diafragma), também conhecida por nosomifalia, é um estado psíquico em que a pessoa tem crença infundada de se padecer de uma doença grave.
"É assim que vivo, dia após dia. Convivendo com problemas normais e conflitos existenciais como qualquer garota da minha idade. Mas convivendo também pacificamente (eu tento) com meu transtorno: hipocondria. Ela é a minha droga. Me deprime e me comanda. É meu vício, me controla e asfixia." Página 40
A Amanda está para fazer 30 anos, mora em NY, num bairro super bem localizado e tem um super emprego: ela é advogada e trabalha numa ONG, ela é tipo uma super-heroína ganhando várias causas para o bem da humanidade! Tem como ser um advogado mais legal que isso?!?! Ela só tem um probleminha na vida dela...a Amanda é super hyper mega ultra hipocondríaca! E como ela mesma admite, todas as histórias que essas pessoas têm para contar são muito engraçadas para todos, menos para os hipocondríacos, que estão sempre à beira da morte!
"A semana passou tão lentamente que tive a oportunidade de experimentar um aneurisma, uma amigdalite, degeneração da pele do pescoço e micose na parte de trás da coxa. (...) No final de semana foi ainda pior. Perdi a conta de quantas pílulas tomei; muitas, suponho. Mas como eu poderia não tomar? Tive dor de garganta, dor de ouvido, dor de cabeça (enxaqueca clássica e moderada) e diarreia. Deus, como eu sofro!" Página 124

Apesar de toda essa loucura, ela é extremamente consciente e lúcida, ela sabe que a hipocondria é um transtorno, só que pra todo mundo transtorno é doença, e se é doença...Oh céus! Ela passa horas na internet pesquisando sintomas e remédios, ela faz exames e tem várias consultas por semana, ela toma um milhão de comprimidos pra curar qualquer dor de cabeça, porque se ela não tomar esses comprimidos todos os dias, ela pode acordar com uma doença terminal, um aneurisma, um...e se for câncer?! ai meu Deus! Ela vai morreeeeeeeeeeeeeeeeeeeer!!!

"-Mãe, é sério, muito sério. Você não pode sair na rua hoje, mãe. Aliás, você não pode sair na rua nos próximos meses!"Página 148
E ela põe todos ao redor dela loucos! A mãe, a irmã e a sua melhor amiga têm paciência de jó com ela :) Fora a Amanda hipocondríaca, tem uma Amanda muito legal e normal, hehe, ela ama muito a sua família e os seus amigos, dá ótimos conselhos, mesmo! Tipo quando a sua melhor amiga, Julia, acha que o seu namorado está pronto pra pedi-la em casamento! Ela diz assim:
"-Julia, escute. Sei que não sou especialista em relacionamentos amorosos. Na verdade estou bem longe disso, mas vamos com calma. Os homens são práticos, pensam de maneira prática. Ele não disse de maneira metafórica que te ama; os homens não dizem nada metaforicamente. Eles nem sabem o que é isso. (...) Os homens amam com a razão. Eles mostram com atitude o que estão pensando ou sentindo. Se um cara ama você de verdade, vai tentar fazê-la feliz. Ele vai demonstrar com atitudes o que sente e eventualmente poderá dizer “eu te amo”."Página 91
Falando em relacionamentos amorosos...adivinha o status da Amanda?! Acertou quem disse: à procura do homem perfeito, agora, a definição do homem perfeito dela pode ser, talvez, um pouco diferente da sua, a dela é assim ó: Só estou esperando um cara decente, com emprego e hábitos de higiene razoáveis. Claro que se ele souber fazer a manobra de Heimlich* eu terei encontrado a minha alma gêmea. 

Durante a narrativa nós conhecemos o dia-a-dia de uma hipocondríaca e enquanto espectadores, a cada capítulo nos deparamos com uma nova peripécia da Amanda, e em um belo sábado de sol, numa tentativa altruísta de salvar o carteiro do pit-pull do seu vizinho Brian, ela é mordida na coxa como se ela fosse um pedaço de carne suculenta, adivinhem o que acontece? O caos se instala no ambiente! Sim, o pobre do Brian pede desculpas, e não, ela não aceita.
"-Você sabe a quantidade de bactérias que tem na boca dessa fera? Estou sangrando muito. Acho que fui atingida na artéria - ensaiei um desmaio, mas continuei - não tenho nenhuma chance. Preciso ir para o hospital em cinco minutos, senão será tarde demais - eu gritava." Página 62
A Amanda não se tornou uma das minhas protagonistas de chick-lits favoritas, mas é uma das que mais me marcou.  O livro tem menos diálogos do que eu gostaria, e no começo eu achei que isso seria ruim, mas em pouco tempo a Amanda me conquistou com as suas aventuras! Eu achei que sabia o que era hipocondria, mas eu me enganei e me surpreendi, e graças a Drica eu consigo entender melhor o que se passa na cabeça de um hipocondríaco, tudo isso com uma leitura super fácil e hilária, além de instrutiva. A Amanda é uma figura e eu ia gostar de tê-la como amiga :) E o romance?! Ahh, vocês têm que ler! Mas eu posso confirmar o que tá escrito na capa: um romance sem contraindicações :)
"Um cappucino cairia bem agora, Sarah. Você pode pegar...- enquanto eu completava a frase e virava o corpo para ela, meus olhos foram de encontro à manchete do jornal: GRIPE SUINA SE ESPALHA NO MEXICO! - Sarah, feche a porta por favor - ordenei, com a voz preocupada. (...) Não!Não!Não! Será que nunca vou ter paz nessa vida? Será que preciso estar sempre alerta?" Página 146 e 147
A Pílula do Amor (Skoob - Saraiva)
Autora: Drica Pinotti
Editora: Prumo
N° de Páginas: 278

*Manobra de Heimlich: é aquele método de desobstrução das vias aéreas que a gente sempre vê na TV!! Clica aí no link que você vai entender melhor hehe, não vou saber explicar direito, embora meus primos que fazem medicina já tenham me explicado trocentas vezes haha ahh gente eu faço engenharia! haha

9 comentários:

  1. Bom dia,

    Gostei dessa coluna e gosto desse estilo literário também....já vi muitas pessoa falarem bem desse livro...boa dica e belo post...parabéns pelo blog...seguindo...abraços.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Bom dia,

    Acho legal esses desafios literários, mas nunca iria conseguir seguir a risca. Ainda mais com faculdade, imagino você que está perto de terminá-la. Ainda não li o livro, mas vi comentários legais a respeito. A capa é bem romântica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Adoro desafios!
    Muito legal esse"
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  4. Oi Nanda,
    Terminei agora meu último semestre com matérias, semestre que vem só tcc. Parece que combinamos, né rsrs
    Adorei sua resenha e o livro parece ser ótimo. A hipocondria é um assunto sério, mas com o toque de humor do livro ficou instrutivo. Fiquei muito interessada na leitura.
    E não abandone o blog, você faz falta :)
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. TCC é mesmo uma loucura, eu só tive coragem de criar o blog depois da faculdade. Esta coluna é muito bacana para os fãs deste gênero literários, dá para pegar ótimas dicas de livros.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. NOssa amiga também fui afetada por essa greve das universidades públicas, só vou ficar de férias em outubro...:(

    AAh eu tinha receios em ler o livro, mas gostei da sua resenha , pretendo lê-lo em breve =)

    dayana

    leitorasdobrasil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Fer, que bom que você apareceu! Mas eu já imaginava que era esse mesmo o motivo, eu que tô de férias ainda fico meio perdida com meu tempo, preciso me organizar urgentemente pra quando voltas minhas aulas não ficar perdida de novo, UHUAHUAUAU. Mas eu adorei essa resenha, não fazia ideia de que o livro era assim, jurava que ele seria mais sério sabe, mas acho que adorei a Amanda! Já vou anotar para próxima compra, HAUAHUA beijão e se cuide +_+

    ResponderExcluir
  8. Oii, Nanda.
    Chick-lit não é um gênero que costuma me atrai, mas achei o enredo desse muito divertido. Deve ser bem engraçado.
    Também ando sem muito tempo pra blogar e até desisti dos desafios. :/ Estou tentando me dedicar ao blog no meu ritmo, sem me cobrar. Que bom que você apareceu. Estava com saudades daqui.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Fernanda!
    Esses estudos que sempre acabam com nosso tempo! Imagina só, a greve também acabou comigo e meu semestre só vai acabar em SETEMBRO! Eita vida complicada!
    Mas falando da resenha, morro de vontade de ler esse livro. Primeiro a capa é linda, não é mesmo? Eu acho uma graça! E segundo que o enredo parece ser TUDO DE BOM, bem do jeito que vai me fazer rir, até porque eu também tenho essas crises hipocondríacas. Enfim! :P

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita! Eu respondo por aqui mesmo ou pode deixar o link do seu blog que eu visito você :) Espero que você volte logo! Nanda ;)